O projecto, inserido no Spotify for Artists, estava em fase beta, tendo sido publicamente anunciado em Setembro do ano passado. Além do carregamento directo facilitado com possibilidade de agendamento de disponibilização dos temas ao público, a actualização, que estava em desenvolvimento, pretendia descomplicar o pagamento de royalties, com estes a serem feitos directa e automaticamente aos artistas, a título mensal. 

Agora, os artistas que estavam a utilizar estas funcionalidade terão de encontrar um novo distribuidor até ao final do mês, para as músicas que carregaram para a plataforma desde então. No comunicado publicado no seu blogue, a empresa sueca garantiu estar a fazer os possíveis para minimizar o impacto do encerramento do programa, aliando-se a várias distribuidoras digitais, nomeadamente a Distrokid, a CdBaby e a EmuBands.

O Spotify coloca, assim, um ponto final na sua tentativa de limitação de intermediários na sua relação com os artistas. Apesar do cancelamento prematuro da iniciativa, a empresa sueca admitiu que estes meses permitiram melhorar a qualidade dos metadados e a protecção contra infracções de direitos de autor. 


Rute Correia