A companhia de teatro disponibiliza desde ontem e até ao final do próximo mês seis peças de teatro online.

O Teatro Aberto disponibilizar ‘online’, desde ontem, seis peças representadas nas suas temporadas, na iniciativa “Teatro Aberto em Casa”, numa resposta à pandemia da doença causada pelo novo coronavírus, anunciou a companhia.

“A Mentira”, de Florian Zeller, abriu na quinta-feira à noite este ciclo do Teatro Aberto, e fica ’em cartaz’ até 25 de março, na Internet, através do ‘site’ desta companhia de Lisboa.

Sucedem-se “A Verdade”, também de Florian Zeller, de 26 de março a 1 de abril; “Vermelho”, de John Logan, de 2 a 8 de abril; “Noite Viva”, de Conor McPherson, de 9 a 15 de abril; “O Preço”, de Arthur Miller, de 16 a 22 de abril; e “Amor e informação”, de Caryl Churchill, de 23 a 29 de abril.

As duas primeiras peças deste ciclo são protagonizadas por Joana Brandão, Miguel Guilherme, Patrícia André e Paulo Pires, e foram estreadas no Teatro Aberto, em dezembro de 2018, de modo a estabelecer um contraponto de relações familiares, entre dois casais de amigos.

“Põem-se as variáveis do que será verdade e do que será mentira à discussão, e demonstra-se como a arte de representar se pode desdobrar em múltiplos sentidos”, disse então a companhia.

Todas as peças integradas neste ciclo foram encenadas por João Lourenço, estiveram em cena no Teatro Aberto, em Lisboa, em temporadas recentes, durante as quais foram feitas as gravações, e mobilizaram atores como António Fonseca, João Perry, Marco Delgado, São José Correia, Rui Mendes, Vítor Norte, António Fonseca e João Vicente, Ana Guiomar, Francisco Pestana, Irene Cruz, Melim Teixeira, Paulo Oom, Rui Neto e Teresa Sobral.

As peças são transmitidas sempre às 21h00.

http://www.teatroaberto.com

Fonte: Lusa

Liliana Teixeira Lopes